fbpx

MENU

MENU

13 3307.5064 | 13 3307.5065

Café

E AGORA?
11/11/2023

Nos últimos 30 dias (10-out / 10-nov-23) o Dez-23 realizou o movimento aguardado e compartilhado com nossos leitores! No dia 10-out-23 o Dez-23 negociou na mínima do ano @ +143,70 centavos de dólar por libra-peso e começou o “movimento de alta”! No dia 09 de novembro-23 o Dez-23 negociou na máxima dos últimos 5 meses @ 179,00 centavos de dólar por libra-peso (por 100 pontos não atingiu o “alvo” @ 180,00 centavos de dólar por libra-peso) e encerrou a semana com o “último negócio realizado” @ 173,00 centavos de dólar por libra-peso (fechamento oficial com base no ajuste @ +174,50 centavos de dólar por libra-peso)!

 

Com o vencimento das opções do contrato Dez-23 os “comprados” continuaram massacrando os “vendidos”! A opção do strike +180 centavos de dólar por libra-peso chegou a subir +344% na semana! Iniciou a semana valendo +0,27 pontos (+0,36 US$/saca) e chegou a ser negociada @ +1,20 pontos (+1,59 US$/saca)! Novamente, as opções “baratinhas”, que “não tem uma probabilidade muito alta em ser exercida”, o “famoso pozinho” deixou muita gente perdendo alguns milhares de dólares pelo caminho! Quando o Dez-23 negociou nas mínimas do ano no dia 10 de outubro muitos “vendidos” nas opções nos strikes acima do +160 centavos de dólar por libra-peso perderam muito dinheiro! Deixaram de “recomprar”/zerar/realizar lucros e amargaram grandes perdas. No dia 10 de outubro a opção do “strike*” +160 centavos de dólar por libra-peso chegou a ser negociada @ +0,80 pontos (+1,06 US$/saca / +5,50 R$/saca) e chegou a ser negociada na última quinta-feira @ +18,45 pontos (+24,41 US$/saca / +120 R$/saca).

 

Por que então o foco hoje está sendo nas opções? Porque quando a opção é utilizada como instrumento de hedge e não como “especulação” é uma ferramenta de extrema importância para o produtor! Se, no dia 10 de outubro de 2023 o produtor tivesse vendido seu café a vista, por +780 R$/saca, e comprado a opção de compra “call*” como “seguro/contra-hedge”, esse mesmo produtor estaria vendendo agora seu café @ +900 R$/saca! Ele teria praticamente participado em toda a alta/correção do mercado!

 

Nessa semana também tivemos o segundo maior volume semanal negociado no ano (sem considerar o volume negociado nas opções). Na semana 06-10 de fev-23 o mercado negociou aproximadamente +363.903 lotes e nessa última semana 06-10 de novembro-23 foram negociados +362.049 lotes! Em função do feriado na sexta-feira nos Estados Unidos (dia do veterano de guerra) a posição dos fundos + especuladores só será divulgado na próxima segunda-feira. Com o Dez-23 chegando a subir +810 pontos e com volume médio diário acima dos +72.000 lotes, provavelmente vamos ter “boas surpresas” com os fundos + especuladores voltando a uma “posição comprada” bem interessante!

 

Esse movimento “frenético” para cobertura de posição pelos “vendidos” levou o spread Dez-23 x Março-24 chegar a negociar no “invertido” @ -450 pontos! Ainda na sexta-feira voltou a ser negociado abaixo dos -250 pontos! Ora, se existe tanto café disponível no mundo (segundo alguns analistas / bancos) então por que novamente o mercado está “invertido”?

 

A Cecafé* deverá divulgar o fechamento “oficial” da exportação no mês de out-23 na próxima segunda-feira (provavelmente algo entre +4,20 / +4,40 milhões de sacas). Para o mês de nov-23 a projeção também continua alta, possivelmente repetindo exportação acima dos +4,20 milhões de sacas. O Rabobank continua apostando na exportação da safra 23/24 em +42 milhões de sacas e a Abic* informou que o consumo brasileiro deverá ficar ao redor dos +21,60 milhões de sacas. Ora, se essa combinação estiver correta então o Brasil terá produzido na safra 23/24 uma safra acima dos +63,60 milhões de sacas! Eu continuo acreditando na exportação entre +36 / +38 milhões de sacas e uma safra brasileira 23/24 abaixo dos +60 milhões de sacas!

 

Diariamente durante a semana a “desculpa/justificativa” de alguns analistas para a “alta do dia” foi que “o mercado subiu hoje pois os estoques certificados caíram”! Ora, os estoques certificados só são publicados / divulgados após o fechamento do mercado! Então, essa “desculpa/justificativa” não faz sentido. As informações publicadas após o fechamento do mercado podem sim “fazer preço” no dia seguinte mas não no dia da publicação dos dados! Os estoques certificados encerraram a semana com apenas +302.235 sacas! +55.810 sacas origem Brasil, +223.695 sacas origem Honduras e saldo +22.703 sacas dividida entre outras 8 origens.

 

E agora? Aparentemente os “comprados” (possivelmente seguiram aumentando a posição “comprada”) já devem estar e deverão continuar realizando lucros nos próximos pregões. Lembrando que nos últimos 30 dias o Dez-23 chegou a subir aproximadamente +3.500 pontos (aproximadamente +46,30 US$/saca ou +229,19 R$/saca)!

 

O indicador “estocástico” encerrou a semana indicando “venda” em todos os próximos vencimentos. A média-móvel dos +200 dias continua como um importante suporte também em todos os próximos vencimentos. Se esses suportes forem rompidos poderemos ver uma correção no curto prazo entre -1.000 / -1.500 pontos em todos os próximos vencimentos! Ou seja, creio que o Set-24 poderá “ir buscar” os +160 centavos de dólar por libra-peso (em R$/saca equivalente a aproximadamente +870 R$/saca para o café arábica tipo 6)! E depois, dependendo do clima / da onda de calor dos próximos dias/semanas, dados das exportações do Brasil, Colômbia e Vietnam, dados econômicos globais / guerra, etc o “mercado” poderá voltar para os +140 / +120 ou para os +180 / +250 centavos de dólar por libra-peso!

 

Para o produtor que necessita vender, “fazer caixa” para os próximos 60 dias, recomendo vender “agora”, aproveitando ainda o mercado acima dos +900 R$/saca e “sair do mercado” até o próximo mês de fev-23. E para o produtor do café tipo robusta não vender seu café abaixo da “paridade” do café tipo rio!

 

Como já vimos várias vezes, o “mercado” não sobe e não desce em linha reta! Sem volatilidade os fundos + especuladores não “giram”, não ganham e não perdem dinheiro. Nesses movimentos o produtor precisa tirar proveito dos “grandes tubarões” monetizando e realizando as operações de “venda spot” e as operações de hedge para as próximas safras!

 

Nessa semana, quando o Dez-23 negociou na máxima dos últimos 5 meses, foi possível vender café arábica tipo 6 acima dos +930/+950 R$/saca e o café arábica tipo “cereja descascado” novamente acima dos +1.000 R$/saca!

 

Para a próxima safra 24/25, precisamos ficar muito atentos! O clima já começou a preocupar o “mercado” com a onde de calor já prejudicando as lavouras. As regiões produtoras na Bahia e Espírito Santo já estão sofrendo com a alta evaporação e temperaturas elevadas. Muitos produtores já estão informando problemas com suas lavouras com os “chumbinhos” secando. Para o engenheiro agrônomo “Ferrão” a próxima safra do robusta já está comprometida!

 

A partir de hoje estarei analisando o mercado com base no vencimento Set-24.

 

Acredito que o produtor brasileiro, para o café tipo arábica, deve vender / comercializar sua safra apenas contra o vencimento Set-24 (e não contra o Julho-24) pois apenas o vencimento Set-24 garante ao produtor um “seguro”/hedge concreto protegendo o produtor contra o período do inverno / risco de geadas! E, aproveitar que nesse momento também as cotações julho-24 / set-24 estão no “carrego”.

 

Com base no fechamento da sexta-feira era possível comprar a estrutura “compra put-spread* strike +170 / -145 vendendo a call-spread*” -210/ +230). Essa estrutura encerrou o pregão custando aproximadamente -50 R$/saca garantindo ao produtor um preço entre o intervalo +885 / +1.202 R$/saca (já considerando aqui o custo da operação) e desde que o Set-24 encerre o pregão no dia 09 de agosto de 2024 acima dos +145 centavos de dólar por libra-peso.

 

Se ocorrer uma geada / eventual quebra na sua produção o produtor estará vendido @ +1.202 R$/saca (caso o mercado encerre na mesma data acima dos +210 centavos de dólar por libra-peso). E, caso o produtor venha a sofrer alguma quebra na sua produção, ele estará com o seguro já comprado caso o Set-24 negociar acima dos +230 centavos de dólar por libra-peso. Se o “mercado” nos surpreender e explodir, negociando acima dos +230 centavos de dólar por libra-peso, então, entre +210 / +230 centavos de dólar por libra-peso o produtor que tiver uma quebra na sua produção /vendas terá um prejuízo ao redor dos -134 R$/saca, e acima dos +230 centavos de dólar por libra-peso a estrutura acima ira “estancar” sua perda!

 

Já para o produtor que tiver a safra tranquila e vendeu @ 1.202 R$/saca, “deixará” de participar do ganho do mercado entre +210 / +230 centavos de dólar por libra-peso e acima dos +230 centavos de dólar por libra-peso ele voltará a participar 100% do mercado.

 

A grande “beleza” em operar e realizar hedge através do mercado futuro / de opções é que o “mercado é dinâmico” e o produtor poderá ir ajustando / rolando a posição comprada e/ou vendida para cima ou para baixo, recomprando / revendendo as posições de acordo com as oscilações do mercado!

 

Vale lembrar que “seguro contra a baixa” é sagrada! Uma vez comprada a estrutura “put-spread” esse seguro não se vende! Deverá apenas ser “rolada” para “strikes” mais elevados, se assim o mercado permitir (pagando um prêmio / custo adicional ao produtor elevando assim o “piso do seguro”). Já no caso das opções de compra “call*” vendidas, o produtor também poderá “recomprar” quando / se o mercado “derreter” e aguardar novo movimento de alta para revende-las (vide exemplo acima na opção de compra “call*” strike +160 centavos de dólar por libra-peso no dez-23).

 

Como sempre, Proteja-se!

 

Teremos muita volatilidade nas próximas semanas / meses!

Produtor garantindo “um preço de venda” acima do seu custo de produção não quebra!

  

 

 

boa semana a todos!

 

 

Marcelo Fraga Moreira*

 

*Marcelo Fraga Moreira é um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas, escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting.

** “Call” = opção de Compra

** “Put” = opção de Venda

** “Compra Call-Spread” = compra e venda simultânea de 2 Opções de Compra comprando a Opção com preço de exercício mais baixo vendendo a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Venda Call-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Compra vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo e comprando a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Compra Put-Spread” = compra e venda simultânea 2 Opções de Venda comprando a Opção com preço de exercício  mais alto e vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “Venda Put-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Venda vendendo a Opção com preço de exercício  mais alto e comprando a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “CFTC” = Commodity Futures Trading Commission – agência independente do governo dos Estados Unidos que regula os mercados de futuros e opções das commodities;

** “IBGE” = Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

 ** “Cecafé” = Conselho dos Exportadores de Café do Brasil

** “SECEX” = Secretaria comércio exterior

** “USDA” = Departamento da Agricultura dos Estados Unidos

** “FNC” = Federação Nacional dos Cafeicultores da Colômbia

** “FAS” = Serviço Agrícola Estrangeiro do USDA*

** “OIC” = Organização Internacional do Café

** “GCA” = Green Coffee Association

** “ABIC” = Associação Brasileira da Indústria de Café

** “Sincal” = Associação dos Produtores do Brasil

** “NDF” = (Non-Deliverable Forward), um contrato a termo de moeda com liquidação financeira, com vencimento para aquele mês

** “Pib” = Produto Interno Bruto

** “FED” = Banco Central Americano

** “NOAA” = Departamento Nacional da Atmosfera e Oceanos dos Estados Unidos

** “EUROSTAT”  = Serviço de Estatística da União Europeia responsável pela publicação de estatísticas e indicadores de elevada qualidade a nível europeu que permite a comparação entre países e regiões

** “OPEP” = A Organização dos Países Exportadores de Petróleo

** “COOXUPÉ” = Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé

** “Coccamig” = Cooperativa Central de Cafeicultores e Agropecuaristas de Minas Gerais

** “PIB” = Produto interno Bruto de um país

** “COPOM” = Comitê de Política Monetária, é um órgão do Banco Central. Ele foi criado em 1996 com o objetivo de traçar e acompanhar a política monetária do país. Esse é o órgão responsável pelo estabelecimento de diretrizes a respeito da taxa de juros

** “BASIS” = O basis é a disparidade de preço causada pela diferença geográfica entre os pontos de entrega da commodity. Ele é calculado subtraindo o valor da commodity no mercado físico em determinada praça, pelo preço do mesmo produto no mercado futuro.

** “Bandas de bollinger” = do inglês bollinger bands, é um indicador de volatilidade bastante utilizado para prever se um ativo está sobre-comprado, estável ou sobre-vendido. Ele é formado por duas médias móveis, uma superior e outra inferior que indicam tal informação. São alguns atributos desse indicador:

  • Antever os níveis de preço de um ativo
  • Antecipar topos e fundos de preço no gráfico
  • Mostrar a intensidade de valorização ou desvalorização de um ativo

Portanto, este indicador tenta mostrar se uma ação está barata ou cara, em um determinado período de tempo.

Desse modo, ele é indicado para operações de curto prazo, day trade ou swing trade.

O autor da técnica é o americano John Bollinger (nascido em 1950), analista financeiro e colaborador da área de análise técnica. John lançou o seu livro Bollinger on Bollinger Bands em 2001, mas essa técnica começou a ser desenvolvida por ele ainda na década de 1980. As bandas são derivadas das médias móveis e mostram que, independente de qualquer movimento que o preço faça, ele tende a voltar a um equilíbrio. Portanto, temos aí um “estreitamento das bandas” no gráfico de candlestick.

** “PMI” = A sigla PMI significa, em inglês, Purchasing Manager’s Index e é um indicador que mede a atividade econômica de um país a partir de pesquisas mensais realizadas por uma empresa privada.

Assim, o PMI também é conhecido como Índice de Gerentes de Compra e seu principal objetivo é fornecer informações sobre a temperatura de alguns setores da economia e orientar os diversos profissionais do mercado.

 

Receba comentários semanais do mercado







Saiba mais sobre nossos cursos in company

Confira valores, disponibilidade e datas.

Estou interessado

Café

E AGORA?
24/06/2023

Com o avanço da colheita brasileira (aproximadamente +42% até o momento) a percepção da “falta de café no curto prazo” mudou. Com o vencimento do contrato julho-23 no próximo dia 19 de julho o spread “julho-setembro-23” zerou (na semana passada chegou a negociar a +400 pontos). O spread Set-23/Dez-23 encerrou a semana ainda invertido com apenas +100 pontos. A partir do dezembro-23 o mercado voltou para a normalidade, pro “carrego” (quando “a cotação do mês presente vale menos que a cotação do mês seguinte”).

 

Do lado macro mundial as principais economias europeias continuam enfrentando o “fantasma da recessão”. Todos os PMI´s publicados nessa semana ficaram abaixo do esperado (a sigla PMI significa, em inglês, Purchasing Manager’s Index e é um indicador que mede a atividade econômica de um país a partir de pesquisas mensais realizadas por uma empresa privada). A inflação continua reduzindo o poder de compra em todos os mercados. Novamente tivemos uma nova semana com aumento da taxa de juros dos principais bancos europeus (Inglaterra elevou em 0,50 pontos para 5% ao ano com inflação no mês de Maio-23 em +8,7%; Noruega aumento em +0,25 pontos para 3,75%); Brasil e  México mantiveram os juros “estáveis” respectivamente em +13,75% e +11,50% ao ano. Estados Unidos voltaram a sinalizar possibilidade de mais 2 aumentos até o final do ano, podendo terminar em +6% ao ano.

 

O “mercado” segue aguardando o “estimulo” chinês que não vem. Japão também anunciou um PMI abaixo do esperado. E na próxima semana o Banco Central Europeu deverá anunciar novo aumento na taxa de juros em pelo menos +0,50 pontos.

 

Com tudo isso, os fundos + especuladores + algoritmos entraram forte no mercado levando o café a cair -1.760 pontos ou -9,24% em “dólar” (máxima / mínima / fechamento respectivamente @ +181,65 / +164,05 / +164,85 centavos de dólar por libra-peso). O R$ voltou a valorizar +1,45% encerrando a semana @ +4,77 R$/US$. Combinando a desvalorização do café com a valorização do R$ frente ao US$ o produtor viu as cotações em R$/saca cair -10,80%!

 

O que parecia ser “impossível” virou realidade para o produtor. O mercado interno voltou a negociar entre +700 / +870 R$/saca. O café tipo arábica de baixa qualidade “arábica rio com 800 defeitos”  chegou a ser cotado @ +680 R$/saca! No sul de Minas o café arábica tipo “duro/riado/rio com 25% de catação terminou com “bid/ask” @ +780 x 830 R$/saca; e o café arábica “tipo 7 Rio até 25% de catação” com “bid/ask” @ +750 / + 780 R$/saca. O café tipo robusta continua firme, com negócios reportados entre +680 / +720 R$/saca!

 

O USDA* também foi “responsável” pela queda da semana pois voltou a “confirmar” a produção da safra brasileira 23/24 em +66,40 milhões de sacas, a produção mundial em +174,30 milhões de sacas e o consumo em apenas +170,20 milhões de sacas. Já o IOC* estima o consumo mundial do café em +178 milhões de sacas! Ou seja, se o USDA* estiver errado o reflexo no índice “estoque x consumo” voltará a ficar em patamar critico – um dos mais baixos dos últimos 5 anos! Assim, o reflexo nos preços será imediato! Nossa estimativa continua com uma produção global em +170,80 milhões de sacas, um estoque de passagem em +27,17 milhões de sacas, e um consumo global em +178,00 milhões de sacas com o índice “estoque x consumo” em +7,25% x +14%/+15% do USDA*.

O USDA* segue otimista apostando que o Brasil irá exportar no próximo ciclo “julho-23/junho-24” um total de +45,30 milhões de sacas (+41,00 milhões de sacas de café em grãos e +4,30 milhões de sacas em “solúvel” equivalente). Já erraram nessa safra e provavelmente irão errar novamente. Como demonstrado no comentário da semana passada para a safra 22/23 o USDA* havia estimado a exportação brasileira julho-22/junho-23 em +39,05 milhões de sacas. Nessa última estimativa ajustaram para +36,65 milhões de sacas. Pelo andamento das exportações no mês de junho-23 projetadas pela Cecafé* o Brasil deverá exportar ao redor dos 2,60 milhões de sacas. Assim, no ano safra julho-22/junho-23 o Brasil deverá exportar no máximo em +35,50 milhões de sacas.

 

Com o avanço da colheita muitos produtores já estão reportando o “termino da colheita” em suas áreas. O rendimento, tanto no café tipo robusta quanto no café tipo arábica, está sendo muito abaixo do esperado em muitas fazendas. Já tem “gente” estimando a safra brasileira 23/24 em apenas +50 milhões de sacas! Seguimos acreditando nos números da Conab* em +55,74 milhões de sacas com um “CC*” – coeficiente de proteção – em +- 2,50% (+54 / +58 milhões de sacas). E uma exportação no máximo ao redor dos +39,50 milhões de sacas!

 

Os estoques certificados estabilizaram e terminaram a semana com +546 mil sacas.

 

O produtor brasileiro que “não fez hedge”, não fez a lição de casa, de repente acordou e começou a procurar o “culpado” pela queda recente do mercado.

 

No dia 25 de agosto de 2022 o Set-23 chegou a negociar @ +225,80 centavos de dólar por libra-peso. Na sequencia entrou em “tendência de baixa” e no dia 11 de janeiro de 2023 negociou na mínima do ano 2023 @ 144,55 centavos de dólar por libra-peso. Em seguida voltou a subir negociando @ +201,75 centavos de dólar por libra-peso no dia 18 de abril 2023. E agora esta “brigando” nos +165 centavos de dólar por libra-peso!

 

O “mercado” deu inúmeras oportunidades, tanto para o produtor quanto para as cooperativas, protegerem um “preço mínimo” para o produtor realizando as proteções contra eventual queda dos preços acima dos +1.500 R$/saca! Demonstrei nos últimos 18 meses muitas sugestões/estratégias onde o produtor poderia ter comprado o seguro contra a queda para a safra atual garantindo preços mínimos @ +1.500 / + 1.350 / + 1.150 / + 1.000 R$/saca. Idem para a próxima safra! Muitos acharam “caro” comprar um “seguro” pagando +30/+50/+70 R$/saca. Essa “economia” custou ao produtor -500/-700 R$/saca! Então, a resposta está dada. O “culpado” infelizmente é o produtor, é a cooperativa que não instruiu, não se protegeu contra a “soberania” do mercado!

– gráfico acima referente ao contrato Set-23 – 24 de agosto 2022 até 23 de junho 2023. Máxima / mínima / fechamento respectivamente @ +225,80 / +144,55 / +164,85 centavos de dólar por libra-peso.

 

Já enfatizamos em vários comentários que o “mercado busca o preço do produtor mais competitivo”! O custo estimado para produtor brasileiro eficiente no café arábica está entre +700/+850 R$/saca (dependendo da área plantada, região, produtividade, irrigação ou não, tecnologia aplicada, etc). O mercado chegou a dar oportunidade para o produtor receber +80%/+100% do seu custo de produção! E agora voltou para a “normalidade”.  

 

Sempre defendi e defendo que o produtor precisa proteger pelo menos “o seu custo de produção mais um X% de lucro ao redor dos +20/+30% ao ano! E para isso o produtor e os agentes do mercado precisam trabalhar em conjunto para divulgar / fomentar as operações SEM RISCO para o produtor! Operações simples, básicas, “SEM ACUMULADORES, SEM OPERACOES QUE APARECEM/DESAPARECEM, SEM MÁGICAS”!

 

O “mercado” rompeu o importante suporte da média móvel dos 50 dias no Set-23 @ 170,60 centavos de dólar por libra-peso. E agora esse “suporte” virou “resistência”. Em seguida as próximas resistências estão @ +178 / +180 / +183,50 centavos de dólar por libra-peso.

 

No curto prazo o indicador “estocástico” apresenta uma posição “sobre-vendida”, então poderemos ver uma leve correção na próxima semana – pelo menos em US$. Se o R$ continuar valorizando então essa possível correção em US$ será anulada, sem efeito para o produtor brasileiro.

 

Próximos suportes agora em “escala de baixa” sendo +160 / +152 / +144 centavos de dólar por libra-peso.

 

O inverno brasileiro começou no ultimo dia 21 de junho. Então teremos mais 3 meses com potencial risco de alguma “eventual geada”. Com o avanço da colheita e com o céu limpo durante os próximos 10/15 dias o risco de geadas continua inexistente. Por enquanto tudo indica uma safra 23/24 infeior a +60 milhões de sacas e uma safra 24/25 muito boa, acima dos +70 milhões de sacas.

 

Para a safra 24/25, com base no fechamento da última sexta-feira, o Set-24 ainda indica um “preço” para o produtor brasileiro @ +900 R$/saca!

Os preços poderão subir no curto/médio prazo? Acredito que sim (vai depender do clima; uma eventual geada prejudicando a próxima safra 24/25; uma retomada na economia mundial; a confirmação da safra brasileira 23/24 abaixo dos +60 milhões de sacas; e embarques brasileiros a partir de julho <= 3.200.000 sacas/mês – na safra atual julho-22/junho-23 o Brasil exportou, na média mensal, +2.948.000 sacas/mês.

 

Os preços poderão cair no curto/médio prazo? Sim! Vai depender do tamanho da safra brasileira 23/24. Se vier acima dos +65 milhões de sacas e as projeções do USDA*/Rabobank/Safras e Mercado estiverem corretas junto com uma recessão global no segundo semestre o “mercado” poderá pesar ainda mais.

 

Mesmo com a expectativa do El-Niño já em formação, o mercado irá acompanhar de perto a próxima florada e os próximos 5 meses serão cruciais para as projeções da próxima safra 24/25.

 

O Set-24 @ 145 centavos de dólar por libra-peso representa “hoje” uma liquidação para o próximo julho-agosto-23 em +740 R$/saca!

 

Então, protejam-se!

 

 

 

 

Perdeu o Curso em Ribeirão Preto? Não tem problema. Estamos abrindo outro em Cuiabá. Não perca essa chance. O Curso Avançado de Opções sobre Futuros – Commodities Agrícolas ocorrerá nos dias 08 (terça) e 09 (quarta) de agosto de 2023, das 09:00 às 17:00 horas no Hotel Deville Prime Cuiabá localizado na Av. Isaac Povoas, 1000 – Centro – Cuiabá – MT. Incorporamos novos módulos, com estratégias, gestão dos livros, previsão de preços, delta hedging, descomplicando as gregas, entre outros assuntos. Para mais informações contate priscilla@archerconsulting.com.br.      

 

 

 

Boa semana a todos!

 

Marcelo Fraga Moreira*

 

*Marcelo Fraga Moreira é um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas, escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting.

** “Call” = opção de Compra

** “Put” = opção de Venda

** “Compra Call-Spread” = compra e venda simultânea de 2 Opções de Compra comprando a Opção com preço de exercício mais baixo vendendo a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Venda Call-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Compra vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo e comprando a Opção com preço de exercício mais alto);

** “Compra Put-Spread” = compra e venda simultânea 2 Opções de Venda comprando a Opção com preço de exercício  mais alto e vendendo a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “Venda Put-Spread” = venda e compra simultânea 2 Opções de Venda vendendo a Opção com preço de exercício  mais alto e comprando a Opção com preço de exercício mais baixo);

** “CFTC” = Commodity Futures Trading Commission – agência independente do governo dos Estados Unidos que regula os mercados de futuros e opções das commodities;

** “IBGE” = Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

 ** “Cecafé” = Conselho dos Exportadores de Café do Brasil

** “SECEX” = Secretaria comércio exterior

** “USDA” = Departamento da Agricultura dos Estados Unidos

** “FNC” = Federação Nacional dos Cafeicultores da Colômbia

** “FAS” = Serviço Agrícola Estrangeiro do USDA*

** “OIC” = Organização Internacional do Café

** “GCA” = Green Coffee Association

** “ABIC” = Associação Brasileira da Indústria de Café

** “Sincal” = Associação dos Produtores do Brasil

** “NDF” = (Non-Deliverable Forward), um contrato a termo de moeda com liquidação financeira, com vencimento para aquele mês

** “Pib” = Produto Interno Bruto

** “FED” = Banco Central Americano

** “NOAA” = Departamento Nacional da Atmosfera e Oceanos dos Estados Unidos

** “EUROSTAT”  = Serviço de Estatística da União Europeia responsável pela publicação de estatísticas e indicadores de elevada qualidade a nível europeu que permite a comparação entre países e regiões

** “OPEP” = A Organização dos Países Exportadores de Petróleo

** “COOXUPÉ” = Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé

** “Coccamig” = Cooperativa Central de Cafeicultores e Agropecuaristas de Minas Gerais

** “PIB” = Produto interno Bruto de um país

** “COPOM” = Comitê de Política Monetária, é um órgão do Banco Central. Ele foi criado em 1996 com o objetivo de traçar e acompanhar a política monetária do país. Esse é o órgão responsável pelo estabelecimento de diretrizes a respeito da taxa de juros

** “BASIS” = O basis é a disparidade de preço causada pela diferença geográfica entre os pontos de entrega da commodity. Ele é calculado subtraindo o valor da commodity no mercado físico em determinada praça, pelo preço do mesmo produto no mercado futuro.

** “Bandas de bollinger” = do inglês bollinger bands, é um indicador de volatilidade bastante utilizado para prever se um ativo está sobre-comprado, estável ou sobre-vendido. Ele é formado por duas médias móveis, uma superior e outra inferior que indicam tal informação. São alguns atributos desse indicador:

  • Antever os níveis de preço de um ativo
  • Antecipar topos e fundos de preço no gráfico
  • Mostrar a intensidade de valorização ou desvalorização de um ativo

Portanto, este indicador tenta mostrar se uma ação está barata ou cara, em um determinado período de tempo.

Desse modo, ele é indicado para operações de curto prazo, day trade ou swing trade.

O autor da técnica é o americano John Bollinger (nascido em 1950), analista financeiro e colaborador da área de análise técnica. John lançou o seu livro Bollinger on Bollinger Bands em 2001, mas essa técnica começou a ser desenvolvida por ele ainda na década de 1980. As bandas são derivadas das médias móveis e mostram que, independente de qualquer movimento que o preço faça, ele tende a voltar a um equilíbrio. Portanto, temos aí um “estreitamento das bandas” no gráfico de candlestick.

** “PMI” = A sigla PMI significa, em inglês, Purchasing Manager’s Index e é um indicador que mede a atividade econômica de um país a partir de pesquisas mensais realizadas por uma empresa privada.

Assim, o PMI também é conhecido como Índice de Gerentes de Compra e seu principal objetivo é fornecer informações sobre a temperatura de alguns setores da economia e orientar os diversos profissionais do mercado.

Receba comentários semanais do mercado







Saiba mais sobre nossos cursos in company

Confira valores, disponibilidade e datas.

Estou interessado

Café

FINALMENTE NY COMEÇOU A ANDAR!

06/04/2024

ler mais

Açúcar

CURTO PRAZO PESADO, LONGO PRAZO ANIMADOR

05/04/2024

ler mais

Café

CUIDADO COM “A PICADA DO MOSQUITO DA ALTA”!

30/03/2024

ler mais

Receba comentários semanais do mercado