fbpx

MENU

MENU

13 3307.5064 | 13 3307.5065

Açúcar

A IGNORÂNCIA É UMA BENÇÃO?
18/05/2024

O mercado futuro de açúcar em NY teve um desempenho horroroso nesta semana, não importa o lado do mercado que você esteja. As usinas que acreditaram em Papai Noel e esperaram o açúcar reagir de volta aos 25 centavos de dólar por libra-peso estão com aquele olhar de quem viu um fantasma. A expressão de choque e descrença como se tivessem levado um susto tão grande de mal conseguem processar o que aconteceu. E não são só eles.

Alguns consumidores industriais, que carregavam estruturas exóticas de fixação do preço de compra com medo de que o mercado de açúcar em NY ultrapassasse os 30 centavos de dólar por libra-peso, concordaram em trocar esse risco por uma “excelente” fixação de – quem sabe, com muita reza – ao redor de 24-25 centavos de dólar por libra-peso. Hoje, o mercado está 700 pontos mais baixo. Algumas dessas instituições agem como verdadeiros Jim Jones das commodities, com a diferença de que apenas assistem ao suicídio coletivo. E os exemplos abundam de ambos os lados, que continuam fazendo sempre a mesma coisa, ou seja, usando estruturas tóxicas de ilusória proteção, esperando resultados diferentes. Raramente dão certo.

Então, caríssimos leitores, o fato é que o mercado futuro de açúcar em NY encerrou a semana com o vencimento julho/24 cotado a 18.10 centavos de dólar por libra-peso, depois de negociar a 17.95 centavos de dólar por libra-peso na quarta-feira, o preço mais baixo desde 31 de outubro de 2022. A queda na semana representou um encolhimento de 155 reais por tonelada para as eventuais fixações de preço da 24/25. Para 25/26, a queda foi de 125 reais por tonelada e para 26/27, 60 reais por tonelada a menos.

Imagine um trader de açúcar que caiu em um sono profundo por pouco mais de 18 meses. Ao acordar, ele se espreguiça, boceja e corre para verificar as cotações do açúcar em seu celular. Para sua surpresa, o preço está exatamente onde ele deixou! Ele pensa: “Uau, o mercado de açúcar deve ter sido bem calmo enquanto eu dormia. Que sorte a minha!” Mal sabe ele das agruras que o mercado enfrentou nesse período. Nosso despreocupado trader, alheio a tudo isso, respira aliviado. Ele ainda não tem ideia dos cabelos brancos que teria ganhado, das noites insones e das reuniões emergenciais com os clientes, caso estivesse acordado. Com um sorriso no rosto, ele se pergunta se talvez não seja uma boa ideia tirar outro cochilo. Afinal, ignorância é uma bênção.

Os fundos aumentaram a posição vendida em quase 25,000 lotes e agora carregam um total de 72,541 contratos vendidos (equivalentes a 3.7 milhões de toneladas de açúcar). Como essa posição refere-se à terça-feira passada e ontem tivemos um acréscimo na posição em aberto, tudo leva a crer que os fundos provavelmente estão com mais de 90,000 lotes vendidos. Vale a pena comentar sobre o que os fundos fizeram com o cacau e com o café recentemente, elevando as cotações de maneira súbita para depois detonarem o mercado com ainda mais força. No açúcar, no entanto, eles iniciaram a posição vendendo e aproveitaram o clima de apreensão que fez o mercado liquidar posições oriundas do mercado de balcão, bem como alguns stops de venda (ordens colocadas no mercado com o objetivo de limitar perdas) que foram acionados. Eu acredito que aí tem um ponto de vulnerabilidade por parte dos fundos. Explico.

Se os canaviais mantiverem o desempenho agrícola atual, eventualmente elevando a produção total de cana para os estimados 605 milhões de toneladas, mas que podem virar 620 milhões, não há dúvidas que NY terá enorme trabalho em ultrapassar os 20-21 centavos de dólar por libra-peso que, se antes eram suporte, hoje viraram resistência. E, dessa forma, os fundos podem deitar e rolar. No entanto, caso haja qualquer evento climático ou exógeno que comprometa a disponibilidade de açúcar a pergunta que devemos fazer é: quem vai dar liquidez para os fundos no caso de recomprarem suas posições vendidas? É essa vulnerabilidade que pode fazer o mercado retornar a patamares mais palatáveis. Digo isso porque nesse nível de preço em NY, nem Índia nem Tailândia conseguem competir.

Segundo o analista Marcelo Moreira, mais uma semana com os fundos/especuladores “jogando o mercado” para as mínimas dos últimos 18 meses! Praticamente todos os próximos 4 vencimentos (jul/24, out/24, mar/25 e mai/25) encerraram no suporte da “banda de Bollinger” dos 50 dias – ao redor dos 18.10/18.30 centavos de dólar por libra-peso. Com base no “gráfico semanal” os gráficos estão indicando uma formação “ombro-cabeça-ombro” com o Jul/24 podendo buscar os 17.10 e 16.00 centavos de dólar por libra-peso! Muito importante o Jul/24 fechar na próxima semana acima dos 18.77 centavos de dólar por libra-peso para “reverter a tendência de baixa”. Já o vencimento Jul/25 encerrou abaixo da “banda de Bollinger” dos 50 dias podendo ir buscar os 15.10 centavos de dólar por libra-peso! No curto prazo importante voltar a trabalhar acima dos 18.15 centavos de dólar por libra-peso e romper a próxima resistência a 19.23 centavos de dólar por libra-peso! Para o produtor que comprou put (opção de venda) vendendo call (opção de compra) considerem recomprar a opção de compra e aguardar novo movimento de alta para revender a opção.

E Lula, mais uma vez, provando ser um líder de visão retrógrada – digno dos tempos de Ramsés II – fez mais uma desastrosa intervenção na Petrobras. Ele demitiu o presidente e, de imediato, nomeou uma pessoa que fez parte do governo Dilma, um dos períodos mais sombrios da história recente, marcada por incompetência, destruição da economia e prejuízos na Petrobras. Essa nova indicada, dizem, não tem nenhum apreço pelo setor sucroalcooleiro. Falar sobre o que Dilma representou para o nosso mercado é desnecessário. Durante o seu trevoso governo, o setor perdeu mais de 70 bilhões de reais em receita devido à sua política irresponsável de controle de preços da gasolina. Dilma escolhia seus interlocutores, não suportava alguns líderes do setor, como uma ditadorazinha medíocre dessa esquerda mequetrefe que infesta o Brasil. Essa turma do PT nunca muda e continua a prejudicar o país com suas decisões desastrosas. Poderiam todos retornar aos seus sarcófagos.

Estão abertas as inscrições para o Curso Avançado de Futuros Opções e Derivativos – Commodities Agrícolas, presencial, em São Paulo, dias 25 (terça-feira) e 26 (quarta-feira) de junho. Esta provavelmente será a única oportunidade esse ano de você fazer um curso que virou referência no mercado e já foi atendido por mais de 3.000 profissionais de diversos setores do agronegócio. Para mais informações contate priscilla@archerconsulting.com.br.

 

Arnaldo Luiz Corrêa

 

Este relatório foi preparado pela Archer Consulting – Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda. para uso exclusivo do destinatário, podendo, no entanto, ser reproduzido ou distribuído por este a qualquer pessoa desde que citada a fonte. Este relatório é distribuído somente com o objetivo de prover informações e não representa, em nenhuma hipótese, uma oferta de compra e venda ou solicitação de compra e venda de qualquer instrumento financeiro ou serviço. As informações contidas neste relatório são consideradas confiáveis na data na qual este relatório foi publicado. Entretanto, as informações aqui contidas não são por parte da Archer Consulting – Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda. garantia de exatidão das informações prestadas ou julgamento sobre a qualidade delas, e não devem ser consideradas como tal. As opiniões contidas neste relatório são baseadas em julgamentos e estimativas, estando, portanto, sujeitas a mudança.

 

® 2024 Archer Consulting – Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.

 

Receba comentários semanais do mercado







Saiba mais sobre nossos cursos in company

Confira valores, disponibilidade e datas.

Estou interessado

Café

USDA* 01 X MERCADO 0 (POR ENQUANTO)

22/06/2024

ler mais

Açúcar

OS QUATRO ELEMENTOS

22/06/2024

ler mais

Café

ENQUANTO O INVERNO NÃO VEM O MERCADO SEGUE CONSOLIDANDO!

15/06/2024

ler mais

Receba comentários semanais do mercado